16 on 16 | Dezembro: O ano dos passos pra trás.

by - dezembro 16, 2014

Mais uma do projeto literário 16 on 16, que consiste em 16 blogueiras escrever um texto no dia 16 de cada mês, sobre determinado tema previamente escolhido pelo grupo. O tema de hoje foi Retrospectiva 2014.


Primeiramente aviso que os próximos cinco minutos dessa leitura não serão das mais inspiradoras, na verdade é um dos maiores desabafos que eu já escrevi e ainda estou relutante a postar na internet. Mas não posso fugir da realidade, tenho que voltar ao inicio, relembrar e transcrever oque foi o ano mais parado da minha vida. 2014, o ano que começou com um passo pra frente e dois pra trás.

Voltamos a fevereiro, o ano na faculdade acabara de começar e eu já me sentia exausta. Depois de um 2013 inteiro sofrendo a vida na Engenharia Mecânica, voltei as aulas com a dúvida da vida, que me assombrava a 3 longos semestres. O clássico do "esse é o curso pra mim?" Não me entenda mal, sei que muitas pessoas passam por essa fase, e não quero deixar esse paragrafo mais dramático do que ele já é, mas o fato de estar em outra cidade, indo relativamente mal nas matérias e sabendo que existia uma família batalhando para que eu conseguisse viver há quilômetros de distância, é complicado. Muito fatores na época, pessoais e na vida acadêmica, me fizeram entrar em um dos períodos mais obscuros da minha existência. Depois de 4 dias sem dormir fui ao médico.

Diagnosticada, comecei minha aventura pelo mundo dos remédios controlados, uma montanha russa que não ia mais pra cima, fiquei estagnada em uma sensação de sufocamento onde meu maior problema era conviver comigo mesma. Os remédios ajudaram, acalmaram os sintomas, me vi levemente encorajada a tentar seguir meu caminho. Mas as notas não melhoravam, por mais que estudasse e passasse horas em cima de um único assunto, ele simplesmente evaporava, o remédio tinha alguns efeitos colaterais alias, sono, muito sono, e ah.. os quilos a mais...

Os meses passaram, e quando a única pessoa em que eu me apoiava, em quem eu confiava e amava em uma cidade longe de casa me abandonou. A situação que já ia complicada estava indo pro buraco. Fiz escolhas infelizes, e impulsivas, desidratei me afogando em lagrimas, o "eu não sou boa pra nada" virou lema de vida. Nesse momento gostaria de fazer uma pausa e agradecer. 

Quero agradecer as pessoas que me seguraram pela mão, os amigos de verdade. Sabe quando dizem que a ajuda surge de onde menos você imagina? Pois bem, os melhores amigos surgem em tempos de crise. Agradeço as pessoas que ficaram ao meu lado, e me fizeram mais feliz do que elas nem podem imaginar. Se na terra existem anjos, eu sei que os encontrei.

O apoio dos meus amigos e família foi imprescindível para colocar a cabeça no lugar, respirar fundo e aceitar que as coisas precisavam mudar. A decisão, depois de muito pensar, foi voltar pra casa.

 Em junho voltei. Casa, já não era mais assim tão familiar, voltei para uma casa, onde não tinha mais meu quarto, a adaptação de voltar pra casa, quando se passa quase 2 anos sozinha, é extremamente complicada, a liberdade e a privacidade por mais que existam, nunca serão iguais. E por mais que minha mãe tenha sido a pessoa mais paciente e companheira do mundo, não tornaram as coisas mais fáceis. 

Mas desde que voltei para o colo da minha mãe, por motivos óbvios a segurança de que tudo ia ficar bem voltou a ser sentida dentro de mim. Minha família sempre foi o pilar de sustentação de todos os membros que a compõem, e é bom, saber que a tenho em todos os momentos, principalmente os difíceis.

Voltamos a dezembro, os problemas diários agora, parecem uma garoa fina de fim de tarde comparados com as tempestades que me atingiram alguns poucos meses atras. A vida está melhor, o sorriso é melhor e mais fácil, alem de toda a confusão que aconteceu no meu coração esse ano,  não existe mais 2014, o anos escuro já foi abandonado as sombras, dezembro está trazendo um novo começo, foi mais estranho que isso possa soar. 

Meu ano novo não acontece no dia 1 de janeiro de 2015, ele já aconteceu, estou vivendo ele agora. 


Esse texto faz parte do projeto literário 16 on 16, e o tema de Dezembro foi: Retrospectiva.
Leia também o texto das outros blogs do projeto:

Ariana | Brunna | Camylli | Daniela | Fernanda | Gabriela | Ghiovana | Lianne | Marlana | Lyz | Thaís

You May Also Like

14 comentários

  1. O seu ano foi um grande aprendizado guria!
    Muito bom aprender a rir na cara dos problemas e contorna-los, ou pelo menos enxerga-los de forma diferente.
    Bom ter um porto seguro.
    Desejo que seu 2015 seja pleno em realizações pessoais e sereno.
    Muitos sorrisos e luz pra ti.

    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, agradeço muito.
      Beijos!

      Excluir
  2. Te desejo um 2015 calmo... Tudo é aprendizado, ter um colo materno/familiar nessas horas ajuda mesmo parecendo que não estamos sendo compreendidos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, família é a base nessas horas. Obrigada.
      Beijos!

      Excluir
  3. Máira...
    O seu ano me doeu também, ao ler suas palavras... Que bom que você se recuperou, que bom que já recomeçou. Espero que permaneça bem e que tudo isso tenha servido de muito aprendizado.

    Até mais :)
    Dani

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Dani, com certeza, foi um ano de muitos experiências, e a única coisa que eu posso fazer é começar novamente né?
      Beijos!

      Excluir
  4. Pois bem, os melhores amigos surgem em tempos de crise >> é bem desse jeitinho mesmo.

    Menina do céu, que sufuco. Tem anos que parecem que vem só pra nos por a prova. Eu vivi exatamente isso em 2007, quando também não sabia se queria engenharia (química). Em 2010 também me amarrei nas pessoas erradas e também quis voltar pra casa, mas dia após dia, a gente vê que Deus desenha as coisas certas nas linhas tortas.

    Espero que 2015 seja escandalosamente e infinitamente e absurdamente melhor do que está sendo agora. Que será melhor que o ano que passa, isso já sabemos. Que a boa fase perdure e cresça, mais e mais.

    Beijão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada MF! Tenho esperanças que esse ano supere as expectativas, e que ano que vem, eu possa escrever um lindo texto,cheio de boas vibrações e alegrias.
      Beijos!

      Excluir
  5. Amei isso: "Meu ano novo não acontece no dia 1 de janeiro de 2015, ele já aconteceu, estou vivendo ele agora." *--*
    Seu ano foi difícil moça. mas serviu de prova para te mostrar o quanto você pode contar com a sua família e com seus amigos de verdade, e claro você viu o quanto é forte. Com o tempo as dores se tornarão cicatrizes e ao olhar para elas você verá o quanto já cresceu e continua crescendo.
    Que 2015 seja mágico para você, que venham novos sonhos e sorrisos, ah que isso, que esses desejos já comecem desde agora! Força menina, você não está só! E lembre-se Deus está com você também ♥
    Beijos :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Com certeza vamos tentar fazer com que tudo ocorra da melhor maneira possível. Igualmente pra ti!
      Beijos!

      Excluir
  6. Eu entendo total e completamente essa crise com relação ao curso. Fico feliz que a senhorita tomou a sua decisão e que agora consegue sorrir com mais vontade, com mais segurança.

    "Se na terra existem anjos, eu sei que os encontrei." Achei esse trecho lindo e, céus, o que seria de nós se não fosse por essas pessoas que aparecem nos nossos caminhos de repente e que mudam tudo?!

    E agora eu desejo que 2015 seja mais leve, tranquilo e que traga mais sentimentos bons pra ti, Maíra!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Nicolle, amigos são com certeza uma das coisas mais vitais nessa existência terrena.
      Beijos!

      Excluir
  7. Coragem, bonita! A vida, às vezes, exige que a gente dê uns passos para trás, mas que seja para pegar impulso! Sei que há coisas lindas e muito melhores esperando por você. Cair sete vezes, levantar oito! Força e, go! :D

    http://comamorgc.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Linda, Esperamos juntas então!
      Beijos!

      Excluir

O que você acha disso?