Do espelho para a realidade

by - março 30, 2014

imagem_espelho

Cada ser traz consigo uma essência, o que o torna tão original e tão único. Às vezes, procuramos em nós algo que valha a pena, algo pelo qual possamos nos orgulhar. Entretanto, você, por si só, com todas as características que te faz único, não é o suficiente para tal objetivo?

Pare e se analise. Há muito mais coisas que merecem destaque do que apenas superficialidades e autocríticas. Não é somente porque você não enxerga que não existe, que não está lá. As pessoas, por mais que não pareça, tendem a ver o que, rotineiramente, não conseguimos enxergar, simplesmente por estarem mais receptivas a isso, e também por se encontrarem em uma zona oposta à fronteira que nos separa do meio externo.

Não seja tão duro consigo mesmo. Abra-se a novas experiências, prove sensações distintas e, acima de tudo, enxergue-se melhor, muito além do trivial. As coisas realmente só vão começar a metamorfosear-se e se tornarem melhores quando você se pegar olhando para o espelho, admirando o que está bem a sua frente. Valorize o que de melhor você possui, e use isso a seu favor.

Pequenas atitudes devem ser levadas em consideração para começar a enxergar tal mudança. Primeiramente, aceite os defeitos que tem; afinal, imperfeições são os que nos distingue dos demais. Em segundo lugar, e não menos importante, não dependa de terceiros para atrair felicidade e se sentir bem; desperte o que há de melhor em você e reflita isso para o meio externo, passe isso adiante e revele para o mundo. Talvez isso possa soar exagerado, mas é um fato.

Dizem que, o que realmente importa nesta vida é a felicidade, que o resto é complementar (quiçá não com estas palavras). Faz até sentido, se pararmos para pensar. Porém, certamente a felicidade não se constrói do nada e muito menos chega do nada. E é exatamente por isso que precisamos estar em constante movimento, para agregarmos coisas boas, momentos memoráveis e sensações agradáveis, e evidenciarmos que a felicidade pode surgir de momentos inusitados e, mais ainda, de lugares excêntricos, de onde menos esperamos: nós mesmos.

You May Also Like

2 comentários

  1. Magda Gonçalves Simões30 de março de 2014 17:31

    Quando li este texto, eu voltei uns trinta anos na minha vida e vi, neste retrospecto, os mesmos ideais, os mesmos pensamentos, a mesma determinação que eu tinha, hoje muito mais aguçados na minha filha, essa que escreve esse texto simples, porém com dicas valiosas para a vida. Ver que minha menininha cresceu e assimilou o que de bom tentei passar para ela faz um bem danado para o meu ego. Que orgulho da pessoa que você se transformou.

    ResponderExcluir
  2. Ensinamentos, quando bem fundamentados e bem transmitidos, temos o dever de torná-los parte da nossa vida. Neste caso, não foi diferente! Agradeço mais ainda por tê-los herdado de você! <3

    ResponderExcluir

O que você acha disso?